sábado, 28 de maio de 2016

Um herege entre hereges: Monsenhor Williamson administra confirmações na capela dos feneístas.

Algumas perguntas ao bispo inglês e seus seguidores:

1- Monsenhor Williamson, encontrou "milagres" aí também? (irônico)
2- Monsenhor Faure, visitaria os feneístas junto com Dom Williamson assim como disse que iria com ele ver a Francisco?
3- Monsenhor Thomás, não vê nada de errado nisso, como também disse não ver nos outros escândalos de seu "grande autor anti-liberal"?
4- Dominicanos de Avrillé, estão "misteriosamente unidos" aos feneístas como dizem estar com a igreja conciliar?

..."Senta-te à porta de tua casa e verás passar o cadáver de teu inimigo."...

Frutos "mais ou menos bons"? Responde S. S. Bento XV

"Tal es la naturaleza de la fe Católica que no admite más o menos, sino que debe ser sostenida como un todo, o rechazarse como un todo: Esta es la fe Católica, que a menos que un hombre crea con fe y firmemente, el no podrá ser salvado."

Papa Benedicto XV (1914-1922), Encíclica Ad Beatissimi Apostolorum.


Problema de jurisdição? Responde Monsenhor Lefebvre:

"El problema de la situacion de los fieles y de la situacion del Papado actual ha hecho que carezcan de valor las objeciones de jurisdiccion, desobediência y apostolicidad, porque esas nociones suponen un Papa Católico en su Fé y en su gobierno." (Biografia de Mons. Lefebvre, pág 753, 754)

domingo, 22 de maio de 2016

Fotos e sermões da visita do R. P. Cardozo a Ipatinga/MG (maio/2016).


“Vivemos em estado de cruzada, em estado de combate contínuo, e esta cruzada pode exigir o martírio.” –MONS. LEFEBVRE, PHLH, 30-31.



Nas duas primeiras semanas deste mês de maio, dos dias 01 ao 14, a Missão Cristo Rei teve a graça de receber mais uma vez ao R. P. Ernesto Javier Cardozo, nosso diretor e amigo.

Os fieis puderam receber os sacramentos e respirar ares da sã doutrina católica que o Rev. Padre tratou de confirmar em seus sermões e catequeses após a Missa, com clareza e objetividade.

Ao longo desses 14 dias, houve também: um batizado, adorações ao Ssmo Sacramento, benção da Casa São Pio X e, na festa de Nossa Senhora de Fátima, renovação da nossa Consagração ao Imaculado Coração de Maria e Rejeição do CVII.

As cerimônias realizaram-se na Casa São Pio X, uma vez que as obras continuam na Capela Cristo Rei que tem inauguração prevista para a próxima vinda do Padre, em Julho, mês que a Missão comemora 4 anos de existência.

Os Católicos de Ipatinga são gratos ao R. P. Cardozo pela sua fidelidade à Fé Católica e ao combate anti-modernista. Viva Cristo Rei!

Abaixo segue algumas fotos e sermões:


Firmes e Dignos


Bênção da Casa São Pio X

Santa Missa 01/05/2016


Regras para o discernimento dos espíritos - Santo Inácio de Loyola


REGRAS PARA O DISCERNIMENTO DOS ESPÍRITOS TOMADAS DO LIVRO DE EXERCÍCIOS ESPIRITUAIS DE SANTO INÁCIO DE LOYOLA

313 – Regras para de alguma maneira sentir e conhecer as várias moções que se causam na alma: as boas para as aceitar e as más para as rejeitar, e são mais próprias para a Primeira Semana.

314 – Primeira regra. Nas pessoas que vão de pecado mortal em pecado mortal, costuma ordinariamente o inimigo propor-lhes prazeres aparentes, fazendo-lhes imaginar deleites e prazeres sensuais, para mais as conservar e fazer crescer em seus vícios e pecados. Com estas pessoas o bom espírito usa um modo contrário: punge-lhes e remorde-lhes a consciência pelo instinto da razão.

315 – Segunda regra. Nas pessoas que se vão intensamente purificando de seus pecados, e subindo de bem em melhor no serviço de Deus nosso Senhor, o modo de agir é contrário ao da primeira regra. Porque então é próprio do mau espírito morder, entristecer e pôr impedimentos, inquietando com falsas razões, para que não se vá para frente. E é próprio do bom espírito dar ânimo e forças, consolações, lágrimas, inspirações e quietude, facilitando e tirando todos os impedimentos, para que ande para diante na prática do bem.

316 – Terceira regra. Consolação espiritual. Chamo consolação, quando na alma se produz alguma moção interior, com a qual vem a alma a inflamar-se no amor de seu Criador e Senhor; e quando, consequentemente, nenhuma coisa criada sobre a face da terra pode amar em si mesma, a não ser no Criador de todas elas. E também, quando derrama lágrimas que a movem ao amor do seu Senhor, quer seja pela dor se seus pecados ou da Paixão de Cristo nosso Senhor, quer por outras coisas diretamente ordenadas a seu serviço e louvor. Finalmente, chamo consolação todo o aumento de esperança, fé e caridade e toda a alegria interior que chama e atrai às coisas celestiais e à salvação de sua própria alma, aquietando-a e pacificando-a em seu Criador e Senhor.

sábado, 21 de maio de 2016

ANÉCDOTAS DE MI ÚLTIMA GIRA POR MÉXICO - R. P. CARDOZO



Llegar esta vez a este querido país sabía que no iría a ser muy placentero, la gestación de la secta creada por MW, causaría divisiones también aquí, por lo cual después de un día de descanso, solicité a mis anfitriones poder visitar el cementerio Español de la Capital, mi objetivo: rezar ante la tumba del gran General Cristero, Antonio Gorostieta, que cayó muerto en una emboscada un 2 de junio de 1929, al parecer por la información proporcionada por los dos obispos que tramaron los acuerdo con Roma, no era la primera vez que dos obispos traicionaban la causa


Al dia siguiente celebramos misa en casa de Antonio, que posee un cáliz usado durante la guerra cristera y renovamos nuestro homenaje a aquellos héroes y mártires del siglo XX


El viernes volamos a Ciudad Juárez, el grupo se mantenía íntegro, salvadas algunas dudas, todos decidieron mantenerse católicos, aún con riesgo de no contar con obispos mientras lo disponga así la Divina Providencia. El asedio desde Chihuahua comenzaba y se me impedía pasar el Triduo Sto. en esa ciudad, para lo cual el Buen Dios dispuso darnos una capilla aún mejor en Ciudad Juárez, una familia nos prestó su capilla privada, lo suficientemente grande y digna para pasar las ceremonias de esos días, como asistentes tuve a Hugo llegado con su familia de Chihuahua y el pequeño Roque que comenzó con 6 años en el servicio del altar



Do blog Missão Sagrada Família - Betim/MG

sexta-feira, 13 de maio de 2016

O Segredo de Fátima (Dom Antônio de Castro Mayer)



            Como Lourdes, no século passado, assim Fátima é o acontecimento mais saliente de nosso século. Daí, todo interesse que despertam, mesmo fora dos ambientes católicos, as conversas mantidas pelos pequenos pastorinhos de Aljustrel com a Mão Santíssima de Deus.

            Semelhante assunto constitui objeto de um artigo do tablóide romano Si Si No No de fevereiro, escrito por quem melhor conhece o assunto, o Irmão Miguel da SS. Trindade, do Instituto Contre Reforme Catholique, do Abbé de Nantes.

De si o segredo é um só, diz a principal das videntes, a Irmã Lúcia, que envolve três coisas distintas: a primeira, é a visão do inferno e a apresentação do Imaculado Coração de Maria como remédio supremo oferecido por Deus à humanidade para a salvação das almas: “para salvá-las, Deus quer estabelecer no mundo a devoção ao meu Coração Imaculado”, a segunda é a profecia sobre a paz que será concedida ao Mundo, como fruto da consagração da Rússia ao Coração Imaculado de Maria e a prática da Comunhão reparadora nos primeiros sábados do mês.

            Em 1941, a Irmã Lúcia afirmou que não poderia revelar a terceira parte do segredo. Em junho de 1943, enfermou gravemente, em Tuy na Espanha. Estava com as Dorotéias. Mons. Silva, Bispo de Leiria, ficou receoso de que a vidente levasse o segredo ao túmulo. Pelo que, instigado por seu confidente e amigo, Cônego Galamba, levou Irmã Lúcia a escrever desde logo o texto do segredo e encerrá-lo em envelope lacrado, a ser aberto mais tarde. Embora seu primeiro destinatário, Mons. Silva não quis tê-lo; ficou então assentado que, na eventualidade do seu falecimento, o envelope seria encaminhado ao Cardeal Cerejeira, Patriarca de Lisboa. Como Mons. Silva se obstinava na recusa de tomar conhecimento do texto secreto, Irmã Lúcia levou-o a comprometer-se que o terceiro segredo seria aberto e lido ao mundo por ocasião de sua morte, ou em 1960. Não há dúvida de que estas disposições provinham da própria Virgem Maria.

O Concílio e Fátima



- Dom Antônio de Castro Mayer

            Numa das aparições com que sua materna solicitude nos visitou na pessoa da Irmã Lúcia, em Fátima, a Virgem Santíssima Senhora Nossa pediu a consagração de todo o mundo, com referência especial da Rússia, ao seu Imaculado Coração. Esta consagração, segundo a promessa da Mãe de Deus, abreviaria as tribulações do Mundo, que são castigos dos pecados dos homens, e seria a salvação da Rússia. A consagração deveria ser feita pelo Papa em união com todos os bispos do Mundo. É o que Nossa Senhora pediu em 1929, numa de suas aparições fora da Cova da Iria.

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Da alegria da boa consciência

MISSÃO SAGRADA FAMÍLIA - BETIM/MG

A glória do homem virtuoso é o testemunho da boa consciência. Conserva pura a consciência, e sempre terás alegria. A boa consciência pode suportar muita coisa e permanece alegre, até nas adversidades. A má consciência anda sempre medrosa e inquieta. Suave sossego gozarás, se de nada te acusar o coração. Não te dês por satisfeito, senão quando tiveres feito algum bem. Os maus nunca têm verdadeira alegria nem sentem a paz interior; pois não há paz para os ímpios, diz o Senhor (Is 57, 21). E se disserem: Vivemos em paz, não há mal que nos possa acontecer, e quem ousará ofender-nos? - não lhes dês crédito, porque de repente levantar-se-á a ira de Deus, e então as suas obras serão aniquiladas e frustrados seus intuitos. 
 

Quando o Pastor muda-se em lobo...

MISSÃO SAGRADA FAMÍLIA - BETIM/MG

 

Quando o Pastor muda-se em lobo, pertence, em primeiro lugar, ao rebanho defender-se. Normalmente, sem dúvida, a doutrina desce dos Bispos ao povo fiel, e os súditos, nas coisas da Fé, não devem julgar seus Chefes. Há, porém, no tesouro da Revelação, pontos essenciais, cujo conhecimento necessário e guarda vigilante todo cristão deve possuir, em virtude de seu título de cristão. O princípio não muda, quer se trate de crença ou procedimento, de moral ou de dogma. Traições como a de Nestório são raras na Igreja; não assim o silêncio de certos Pastores que por uma ou outra causa, não ousam falar, quando a Religião está engajada. Os verdadeiros fiéis são os homens que extraem de seu Batismo, em tais circunstâncias, a inspiração de uma linha de conduta; não os pusilânimes que, sob pretexto especioso de submissão aos poderes estabelecidos, esperam, para afugentar o inimigo, ou para se opor a suas empresas, um programa que não é necessário, que não lhes deve ser dado”. (grifos não contém nos originais)

Dom Guéranger, citado por Dom Antônio de Castro Mayer no livro: “Dom Antônio de Castro Mayer. 1948-1988. Quarenta anos de episcopado”. Págs. 20 e 21, Campos/RJ. 1988.

A resposta de Dom Tomas e a Valtorta fora do Non-Possumus

 

MISSÃO NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS - CONTAGEM/MG 

-Eugênio Mendes


No artigo publicado em no final de março, fiz um pequeno comentário sobre a resposta dada por Dom Tomás, onde procurava-se explicar a inexplicável defesa de Dom Williamson a missa nova entre outras coisas.
Pois bem, a alguns dias Dom Tomas resolveu me responder em privado e por considerar que na situação que vivemos desta profunda crise na Igreja, penso que é direito e dever dos católicos se informarem e terem acesso as coisas que são ditas pelos superiores.

Trago aqui a resposta na íntegra e faço mais alguns comentários.

Da Alegria (São João Crisóstomo)


Antologia de São João Crisóstomo

Alegria

Podeis acaso não estar em festa contínua durante os dias da vossa vida terrena? Longe de nós qualquer abatimento pela pobreza, doença ou perseguição que nos aflige. A vida presente é um tempo de festa. (Homilias sobre São Mateus, 19, 3)

Que pode perturbar o santo? A morte? Não, porque a deseja como prêmio. As injúrias? Não, porque Cristo ensinou a sofrê-las: Bem-aventurados sereis quando vos injuriarem e vos perseguirem (Mt 5, 11). A doença? Também não, porque a Escritura aconselha: Aceita tudo o que Deus te mandar, e permanece em paz na tua dor, e no tempo da humilhação tem paciência; porque o ouro e a prata se provam no fogo, e os homens amados de Deus, no cadinho da tribulação (Ecl 2, 5). Que resta então, que seja capaz de perturbar o santo? Nada. Na terra, até a alegria costuma acabar em tristeza; mas, para quem vive de acordo com Cristo, as próprias penas se transformam em alegria. (Homilias sobre as estátuas, 18).

Jesus, Alegria dos Homens - Bach