quinta-feira, 24 de abril de 2014

UM GRANDE DEVOTO DE MARIA


UM GRANDE DEVOTO DE MARIA

   O célebre presidente do Equador, Garcia Moreno, assassinado pela maçonaria em 1875, era devotíssimo de Nossa Senhora.
   Achando-se um dia entre operários irlandeses, que mandara vir dos Estados Unidos para montar uma serraria mecânica, interrogou-os sobre os costumes religiosos de seu país e perguntou-lhes se sabiam algum cântico em honra de Maria Santíssima.
   Os bons irlandeses puseram-se logo a cantar. Garcia Moreno ouvia-os cheio de comoção. Terminado o cântico, perguntou:
   - Vós, irlandeses, amais muito a Nossa Senhora?
   - Sim, senhor, de todo o coração, - responderam.
   - Então, meus filhos, acrescentou o Presidente, ajoelhemo-nos e rezemos o Rosário, a fim de que persevereis no amor e no serviço de Deus.
   E todos, ajoelhados ao redor do Presidente, rezaram, com grande fervor e com os olhos úmidos de pranto, a coroa mariana.
   Foi na devoção a Nossa Senhora que Garcia Moreno encontrou a força daquela fé viva que, diante dos assassinos, lhe pôs nos lábios, como um grito de desafio, a palavra memorável: "Deus não morre!"

(Tesouros de Exemplos, Padre Francisco Alves, 1958)

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Alegria

Antologia de São João Crisóstomo

Podeis acaso não estar em festa contínua durante os dias da vossa vida terrena? Longe de nós qualquer abatimento pela pobreza, doença ou perseguição que nos aflige. A vida presente é um tempo de festa. (Homilias sobre São Mateus, 19, 3)

Que pode perturbar o santo? A morte? Não, porque a deseja como prêmio. As injúrias? Não, porque Cristo ensinou a sofrê-las: Bem-aventurados sereis quando vos injuriarem e vos perseguirem (Mt 5, 11). A doença? Também não, porque a Escritura aconselha: Aceita tudo o que Deus te mandar, e permanece em paz na tua dor, e no tempo da humilhação tem paciência; porque o ouro e a prata se provam no fogo, e os homens amados de Deus, no cadinho da tribulação (Ecl 2, 5). Que resta então, que seja capaz de perturbar o santo? Nada. Na terra, até a alegria costuma acabar em tristeza; mas, para quem vive de acordo com Cristo, as próprias penas se transformam em alegria. (Homilias sobre as estátuas, 18).

Fonte: http://www.ecclesia.com.br/biblioteca/pais_da_igreja/s_joao_crisostomo_vida_e_obra.html.

Jesus, Alegria dos Homens - Bach:


terça-feira, 22 de abril de 2014

sábado, 19 de abril de 2014

domingo, 13 de abril de 2014

quarta-feira, 2 de abril de 2014